12 de abr de 2010

LEWIS CARROLL

Decidi postar hoje sobre um autor muito conhecido na literatura mundial,uma figura intrigante e assim sendo, um alvo de intensas análises por universitários, estudiosos e amantes da boa leitura.

Fatos que o cercam, como na hipótese de se envolver com pedofilia, não tiram no entanto, desse grande autor seu grande talento que transcende os anos e que fizeram astros como Lennon se apaixonarem pelas histórias da pequena menina,os irmãos gêmeos Tweedle-Dee e Tweedle-Dum, o Gato Risonho, a Lagarta, a Lebre Maluca e o Chapeleiro Louco, e um estranho jogo de cricket com a Rainha de Copas.

Bom, Lewis Carroll é o pseudónimo do escritor Inglês e matemático Charles Lutwidge Dodgson (27/01/1832 - 14/01/1898) conhecido especialmente pelas obras Alice no País das Maravilhas (1865) e Alice no País dos Espelhos (1872), sendo estes, livros infantis também marcados pela sátira e tidos como exemplos de inteligência verbal. Carroll inventou o seu pseudônimo, traduzindo seus dois primeiros nomes para o latim Carolus Lodovicus e depois aperfeiçoando-os em " Lewis Carroll ".

Filho de um clérigo e primogênito de 11 filhos, Carroll foi precoce para seu tempo e ainda pequeno já entretia sua família com truques de mágica, shows de marionetes e poemas escritos para alguns jornais caseiros. De 1846 a 1850 participou da chamada Rugby School e graduou-se Christ Church College, Oxford, em 1854. Ali, Lewis Carroll diferentemente do que se imaginava, lecionou aulas matemática e produziu guias para os alunos.

Outra passagem marcante do autor foi o fato de ter se tornado diácono em 1861, tento, contudo, nunca se ordenado sacerdote, em parte porque sofria de uma gagueira que dificultava a pregação e pelo fato também de descobrir novos rumos e opções para sua vida.

Uma das principais ocupações Carroll foi a fotografia, em que ele se mostrou um tanto apaixonado, especialmente no tema crianças. Crianças essas como Alice Liddell, uma das três filhas de Henry George Liddell, o reitor da Igreja de Cristo que serviu de inspiração para sua principal personagem no ramo literário.

Quanto as outras áreas, Carroll também produziu quadrinhos e outros trabalhos infantis que incluem também "A caça do Snark" (1876), duas coletâneas de versos humorísticos, e as duas partes de Sylvie e Bruno (1889, 1893), tentativas de recriar as fantasias Alice.

Como um matemático, Carroll foi conservador. Como lógico, ele estava mais interessado na lógica de um jogo do que como um instrumento de teste de razão. Em suas diversões como fotógrafo e autor de quadrinhos de fantasia, ele é o mais memorável e original - o homem que, por exemplo, contribuiu, em "Jabberwocky", uma palavra-valise que combina "snort" e "chuckle, "para o idioma Inglês.

Vale Salientar que as obras de Carroll como muitos sabem, já foi adaptada pela Disney em um dos seus filmes de maior sucesso e caracterizado por uma brilhante animação em 1951, sendo lançado, ainda esse ano, uma nova gravação e readaptação do clássico para as telonas, agora com personagens reais (pode ser visto em 3D) e a direção de Tim Burton. A estréia no entanto para os apaixonados, está próxima, dia 16 de abril.



Alice Liddell : Inspiração para Carroll nas suas principais obras literárias

Alice, a Lebre Maluca e o Chapeleiro Louco : chás e um estranho bolo de desaniversário


Cena refeita nos estúdios Disney em 1951 : Fidelidade a história de Carroll e uma produção de animação clássica e marcante


Estréia prevista para essa sexta : Releitura da obra segundo Tim Burton tendo Jonnhy Depp no papel do enigmático Chapeleiro Louco

Nenhum comentário:

Postar um comentário