30 de mai de 2009

O OSSÁRIO DE ALEXANDRE ORION!


A poluição de São Paulo deverá ser exibida em museus e galerias ao redor do mundo. A fuligem produzida por veículos na cidade vem sendo utilizada pelo artista plástico Alexandre Orion, 30, para pintar telas.

Além de uma exposição já marcada para setembro, em Paris, ele recebeu convites de galerias suíças, inglesas e norte-americanas.

O projeto começou em 2006, quando Orion realizou a primeira de sete intervenções urbanas -chamadas de Ossário- em túneis da capital paulista. Na ocasião, o artista desenhou uma série de crânios ao longo do túnel Max Feffer (zona oeste) usando o grafite reverso.

A técnica teve como um de seus precursores o britânico Paul Curtis. Em 1999, em Leeds (Inglaterra), Curtis começou a limpar a sujeira de muros para desenhar. Com isso, cria-se uma imagem de modo reverso ao do grafitti tradicional.

Munido de pano e água, Orion retirou a sujeira acumulada nas paredes do túnel para formar as imagens da intervenção. Ele deixou a água escura restante da “limpeza” evaporar e, com o pó preto que sobrou, misturado a uma base acrílica, obteve sua “tinta de fuligem”.

Quando a matéria-prima da tinta se esgotava, nova intervenção era realizada em outro túnel sujo da cidade.

Segundo Orion, seu trabalho era facilitado pela falta de manutenção. “O túnel Ayrton Senna nunca havia sido limpo, era preto, preto, preto de fuligem”, diz. A Secretaria das Subprefeituras de São Paulo afirma que a manutenção acontece mensalmente.

Ao todo, o artista já concluiu oito telas feitas a partir da fuligem recolhida, retratando automóveis em cenas cotidianas. Uma das séries documenta o ciclo de vida útil de um carro. Outra estabelece paralelos entre partes do corpo humano e partes do automóvel.

A ideia é expressar, segundo Orion, que o modo de vida escolhido pelo paulistano, aparentemente confortável, é falso e prejudicial à cidade. “Se a princípio as pinturas parecem inofensivas, na verdade elas contêm uma provocação em sua técnica: o fato de terem sido feitas com poluição”, diz ele.

Vejam algumas das fotos e um vídeo do Ossário de Orion:












Fim da linha: obra desaparece depois da ação do corpo de bombeiros de São Paulo


LOL

OSGEMEOS











osgemeos(VLOK)





osgemeos(VLOK)









Enor/Coxas/Gemeos/Finok




por leonardo.tura , mais em lostart

IRMÃOS CAMPANA EM EXPOSIÇÃO NA ALEMANHA


Depois de lançarem o livro
"Cartas a um jovem designer", Humberto e Fernando, os irmãos Campana, vão ao museu de design Vitra, em Weil am Rhein na Alemanha expor a maior retrospectiva de seu trabalho. A mostra apelidada de “Antibodies Antokörper” (anticorpos) fica em cartaz até 2010, e reúne mais de 140 móveis, utensílios e luminárias, além de 25 objetos colecionados pelos designers.

A exposição nasceu depois de uma série de seminários dos Campana na instituição. A grande surpresa é a série de objetos em papel que será mostrada pela primeira vez. Ela surgiu durante a estadia dos Campana no Vitra e na
retrospectiva serão exibidas não só as peças como também todo o processo criativo. Haverá também vídeos e fotos que mostram o que há por trás de tantas criações, que buscam sempre a reciclagem, a mistura do natural com o artificial e o mix de culturas. De onde surgem tantas idéias criativas? Os próprios Campana explicam no programa: “É como se aquele material estivesse sempre nos perguntando: em que vocês podem me transformar? O material é que dita a forma e a função no nosso trabalho.”

Segue abaixo algumas das obras mais famosas dos irmãos designers:


Sofá Papelão, de 1993




Poltrona Banqueta (2002), de bichinhos de pelúcia costurados. Produzida no Estúdio Campana, em São Paulo, é vendida em galerias internacionais, como a Moss, de Nova York.



Cadeira Favela, 1991


Aligator Chair, 2004

ROCKSMITH - PRIMAVERA 09

Um pouco da coleção de primavera da Rocksmith ,a coleção vem com um visual retro de ny , o resto vc pode conferir no site.





















ISE e COYO




pela Grapixo

"CURTINDO A VIDA ADOIDADO" - CASA À VENDA



Quem nunca assistiu "Curtindo a vida adoidado" ("Ferris Bueller's Day Off"), e se imaginou bolando um plano pra enganar os pais e matar aula no dia seguinte e realizar coisas incriveis ? Eu era viciado nesse filme , assisti milhoes de vezes e tinha um sonho de bolar um plano maléfico hahahaha !

Então, mais na verdade o post é sobre a casa que aparece no filme , do seu amigo Cameron na cena quando Ferris Buller pega a Ferrari dos anos 60 do pai do seu amigo, que é uma raridade e depois aparece a Ferrari voando pelo vidro da casa.

A casa esta a venda, avaliada no valor de 2.3 milhões de dólares no mercado, abaixo seguem algumas fotos da casa de vidro, e um vídeo .






















mais aqui : Cool Hunting